Esse cara sou eu - Roberto Carlos

Loading...

Diário de uma paixão - "Reason"

Loading...

Atenção! Já podem adquirir meu livro através do site: www.joisscannis.blogspot.com

Atenção! Já podem adquirir meu livro através do site: www.joisscannis.blogspot.com

Compre agora mesmo!!

Radio Esotérica

"Quando nos olhos brilha o amor tão somente a alma existe"

Loading...

quinta-feira, 3 de março de 2016

Silêncio

Silêncio

mortal
sem igual

Silêncio

eterno
suspiro

Silêncio
Silêncio
Silêncio



segunda-feira, 1 de junho de 2015

Sobre ser escritor

Escrever... uma arte curiosa, uma profissão misteriosa.
Um trabalho sem dúvida muito prazeroso, mas nem por isso menos trabalhoso!
Escrever... é trabalhar duro para dar rumo às coisas que só então existiam no seu próprio mundo.
Um trabalho muitas vezes invisível, ora, porque escrever não é algo que se destaque como profissão reconhecidamente reconhecida!
Mas digo: ser escritor, talvez, seja uma profissão privilegiada pelo fato de que NÃO seja necessário diploma de faculdade! Eu não precisei de um!
E num mundo dominado pelo verbo ter, isto soa absolutamente impróprio! Porque acham por aí, que você só é mediante aquilo que você tem. Então, se tenho diploma de médico: sou médico; se tenho de direito: sou advogado . Agora, então como posso ser escritor se não tenho diploma de escritor?
Só posso dizer:
- Sou escritor não porque preciso de um diploma pra isso, mas simplesmente porque vibro e existo nesta condição. Sou escritor!
Num mundo onde para tudo deve haver uma razão. Então, deliberadamente terei de ir contra ao que chamam razão, pois razão propriamente dita não há para que eu me conclame escritor. Porque esta condição não me vem por títulos adquiridos, mas simplesmente porque esta é condição inerente àquilo que sou em minha alma.
Que as pessoas sejam reconhecidas por aquilo que verdadeiramente são, independente de títulos, dentro de suas almas e de seus corações...

quinta-feira, 8 de maio de 2014

A reencarnação e a regressão de vidas passadas

Além de toda aquela dramatização básica a cerca da vida após a morte, vamos a um outro ponto da questão. Claro que uma volta no tempo envolve muitas coisas. Nem tudo relembrado pode ser bom ou legal de se ver. Certamente haverá muitas manchas negras em nosso passado, devido ao fato de que somos seres a caminho da evolução, que sem dúvida ocorre lentamente à medida em que avançamos.
Bem, mas um pouco além dos fatos e acontecimentos de nossas outras vidas, existe uma outra experiência fascinante.
Ocorre quando de repente nos damos conta de que realmente somos aquela outra pessoa, naquele outro tempo, naquele outro corpo! Um corpo que, talvez, já esteja consumido pelo tempo revelando-se em cabelos grisalhos, em pele envelhecida, e quem sabe acima do peso.
Que magnífico!
Estivemos aqui e agora como num passe de mágica estamos de volta, num corpo novinho em folha, cheio de força, saúde e disposição. Literalmente mágico.
E quando nos vemos novamente jovens, imediatamente sentimos um respeito quase sagrado por nós mesmos e mais ainda por aquele quem já fomos um dia, inclusive por aquele velho corpo em que vivíamos.
Neste momento o coração salta a boca e a magia da vida salta aos olhos, de forma sem igual, de maneira estonteantemente surpreendente!
E isto é realmente capaz de mudar completamente nosso ser e sem dúvida alguma nossa maneira de ver a vida...

Por Joiss Cannis   em 08 de maio de 2014

Chama gêmea: o fim das necessidades

Me questiono porque as pessoas tem de ser sempre movidas pelo ego, principalmente quando se trata de relacionamentos.
Será que em algum dado momento não poderíamos nos descobrir como sendo autossuficientes no que diz respeito ao amor?
Se assim fosse não nos deixaríamos afetar pela "falta dê" como uma necessidade a ser suprida de qualquer forma, de qualquer jeito, seja lá com quem for.
Se de repente, o momento atual lhe impede de estar com sua chama gêmea, não deveria apenas a ciência de sua existência suprir todas e quaisquer necessidades que por ventura tenha?
Creio que apenas o fato de se descobrir uma contraparte sua já seja motivo suficiente de alegria e felicidade a se levar pelos confins dos dias, dos essênios, dos milênios...
Quanto bem estar nos preenche, quanto amor nos acomete. O ego jamais deveria se sobrepor a sentimentos tão intensos como esses, a magnitude de forças como essas.
Mas de repente, nos concernes da vida ele insiste em lhe apregoar solidão aos ouvidos, em lhe fazer acreditar o quanto é necessário estar com alguém do lado, ainda que seja para lhe apaziguar momentaneamente tais sentimentos e nada mais. Mas lhes digo, que essas coisas não mais são necessárias, tudo o que o ego quer é que você acredite nas ilusões que ele lhes grita aos ouvidos!
É incrível como as pessoas acham que precisam dos outros para ser felizes, mas se enganam. Ainda mais se já tiverem feito algum contato com suas almas gêmeas. O fogo do amor que as criou é capaz de lhes sustentar pela eternidade afora e isto supre toda e qualquer necessidade que por ventura possa ter o ser humano, e isto vale para o campo das emoções ou ainda para a relação dita em corpos físicos. Sentimentos de solidão, de infelicidade por se estar seguindo a vida sozinho... tudo besteira alimentada pelo vilão que teima em nos perseguir, o ego.

sábado, 1 de junho de 2013

A cura através do Amor Universal

Eis o ponto alpha na vida de qualquer ser humano:


A descoberta do Amor Universal.

Quando a alma ou consciência atinge a maturidade necessária, então, consegue não apenas vislumbrar o ideal de amor que tanto se fala por aí, mas consegue ir muito mais longe que isso. Ele passa não só a ter compreensão do que é esse amor, mas passa a viver numa realidade completamente nova provocada pelo êxtase dessa nova dimensão do viver.

Quando atinjo o ponto alpha: o Amor Universal, toda a realidade a minha volta muda, tudo passa a ser observado sob um outro espectro de luz, e isto inclui coisas, fatos ou pessoas.

Este é o caminho capaz de nos conduzir a uma nova concepção do estado de ser, de estar e de viver.

Quando se atinge esse estado supremo, somos lançados a uma experiência completamente nova dentro do existir. Uma experiência capaz de libertar nosso espírito ou consciência, de tudo quanto possa estar nos aprisionando aos mundos inferiores, sejam sentimentos de mágoas, rancores, ódios, enfim...

Agora para aqueles que vivem apenas sob a perspectiva do Ego, já não será possível sequer chegar perto do ponto alpha. E para estes o tempo será um remédio abençoado, até que um dia realmente tenham a consciência suficientemente desenvolvida para entender o real motivo da existência humana.

Por Joiss Cannis










terça-feira, 9 de abril de 2013

Aprendendo a conectar com os mundos de luz

Recentemente li algo muito interessante a respeito de nossa jornada espiritual. Dizia-se que não eram "eles" que viriam ou desceriam até nós e sim nós que subiríamos até "eles". E isto faz o mais absoluto sentido!
Somos nós que estamos caminhando em direção aos céus. Quanto mais abertos, mais conscientizados do processo de evolução do ser, consequentemente mais pertos dos seres superiores de luz estaremos.
Tal qual no mundo espiritual, um espírito inferior não é capaz de ver o mundo de luz no qual elevados espíritos habitam, devido às suas baixas vibrações. Esta lição também serve a nós humanos aqui na Terra. O mundo espiritual estará mais propício a ser visto por aquele que estiver sincronizado com as suas elevadas vibrações. Como diz o ditado:

"Semelhante atrai semelhante"

Então se sabemos que a passagem para o mundo de luz, para o contato com os seres superiores, está a nosso alcance, por que não fazê-lo?
O homem não está a mercê da vida, o homem está a mercê do próprio homem. Está a mercê de seus desejos, de seus ideais, assim como também está a mercê de sua própria preguiça, de sua falta de vontade em ir além do mundo das aparências.

Mas não há tempo que acabe, não há vida que acabe... a eternidade é e sempre será uma constante na vida de qualquer homem, de qualquer ser humano, de qualquer espírito, de qualquer alma, de qualquer consciência.


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

A mulher e o deserto

E mais uma vez após o cair da noite adentrava a tenda daquela mulher, que como sempre já estava a espera de seu homem.O silêncio pairava sob aquelas paragens, apenas a brisa fresca percorria o deserto àquelas horas.

Era no calar da noite que os homens se recompunham da dura batalha do dia-a-dia.Era no seio de suas amadas que podiam deitar suas cabeças, certos de que alí encontrariam a maior de todas as recompensas: a paz e o reencontro consigo mesmo.Até os homens da guerra em determinados momentos precisavam render-se a si mesmos.
Como se o mundo e as guerras não mais existissem, como se houvesse apenas aquela tenda, apenas aquela mulher...
Seria um sonho se houvesse apenas isto para viver, mas a vida de um homem salvo raras exceções devia ser marcada pela dor, pela luta, pela guerra.Isto era ter o nome honrado para todo sempre nos autos da história.
Bem, mas quando a noite caía, nada mais importava, nem sangue nem guerra, nem o próximo plano de ataque, apenas uma mulher existia.
Perder-se nos braços da mulher amada, sentir de perto o calor que seu corpo exalava, fazendo juras de amor ao pé do ouvido.E em troca, sua tão bela morena lhe fazia o homem mais feliz entre todos os homens.Mel escorria pelos seus lábios e se esparramavam por todo meu ser.
Que seja eterno enquanto dure!E que a lua perdurasse no céu infinitamente banhando corpos e estrelas.
Lá fora o mundo urgia, as feras estavam a solta prontas a devorar o homem que lhe cruzasse o caminho.Mas graças aos deuses existia o dia, mas também a noite, haviam mulheres, haviam amadas, que lhes jusificavam todos os seus dias.
Deus havia pensado em tudo.Criara o amor, para que assim nossa caminhada sobre a terra fosse suavizada.
Logo, um som suave provocado pelo êxtase daquele amor percorreu todo o deserto, a única testemunha daquele momento.
Tão logo o sol surgisse no céu, levantavam-se, recompunham-se.Depedia-se de sua tão incrível amada e dava-lhe um beijo em sua testa.E como sempre ela nada lhe dizia, apenas desejava do fundo de sua alma que o deserto lhe trouxesse de volta quando a noite caísse mais uma vez.Era assim.
Desta vez, entregou-lhe um lenço branco com seu perfume de canela, assim poderia ter sempre consigo sua presença.
Logo, ao longe sob os primeiros raios de sol ele acenava distante.Agora precisava trabalhar e trabalhar para esquecer que havia ainda um dia inteiro pela frente, até que o reencontrasse de novo.Mulher experiente que era, trazia no peito a dor da experiência.Sabia que mais dia menos dia seu homem não mais voltaria.
O mundo era um tanto cruel,mas a vida era assim mesmo, devia se conformar.Ao menos se ele não voltasse ainda assim teria sido uma privilegiada, pois traria consigo pelo resto de sua vida o cheiro e o gosto do seu homem, cuja essência estaria gravada para sempre em seu corpo. E ainda agora sentia o gosto e o sabor dos seus lábios sobre os meus.
Era uma mulher de sorte, pois conhecia a guerra, mas também o amor de um Homem!

(Postado em novembro de 2008)